A novidade e a tradição na ciência sob a análise da ação arendtiana La novedad y la tradición en la ciencia bajo análisis de la acción de arendtiana The novelty and the tradition in science under the analysis of the arendtian action

Simone Dalla Barba Walckoff

Resumen

O principal objetivo deste artigo é a investigação da produção de conhecimento científico a respeito da realidade. Na história da Ciência a constituição do conhecimento não possui como referência o fenômeno, mas o corpo teórico construído a partir e já muito distante dele. Assim, investiga-se por meio de dois fenômenos científicos, questões fundamentais da mecânica quântica e da ação humana, discutidas respectivamente por Werner Heinsenberg e Hannah Arendt, das possibilidades de quebra de tal modelo. Para isso, analisa-se trabalhos da física contemporânea e da teoria política por meio do método hermenêutico. A análise mostra que a distância da ciência moderna da vida política surge como uma importante dimensão nesta observação, uma vez que a vida pública, política por excelência, é a própria possibilidade da novidade apresentar-se, de acordo com Hanna Arendt. Tais resultados indicam a importância do debate na comunidade científica na distância entre o discurso científico e a capacidade de ação política inovativa. Discussões dessa natureza podem chamar para a retomada da dignidade do projeto primeiro da ciência, a novidade.

Palabras clave

Epistemologia da ciência; Ciência e política; Ação e Arendt; Física e política; Ciência e o Novo.

Texto completo:

PDF

Referencias

Arendt, H. (2002). A vida do espírito: o pensar, o querer, o julgar. 5. ed. Rio de Janeiro: Relume Dumará.

Arendt, H. (2001). A condição humana. Rio de Janeiro: Forense Universitária.

Critelli, D. M. (2012) História Pessoal e Sentido da Vida: historiobiografia. São Paulo: Educ.

Coll, C. Palácios, J. e Marchesi, A. (1995) Desenvolvimento psicológico e educação: psicologia evolutiva. Vol. 1. Porto Alegre: Artes médicas.

Copenhagen. (2001) Dir: H. Davies. Chatsworth: PBS Hollywood. 1 DVD (117 min).

Einstein, A. & Infeld, L. (2008) A Evolução da Física. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Figueiredo, L. C. (1993) Sob o signo da multiplicidade. Cadernos de Subjetividade PUC-SP, São Paulo, n.1:89-95.

Heisenberg, W. (2002) Física e Filosofia. Brasília: Editora Universidade de Brasília.

Hermann, N. (2002) Hermenêutica e Educação. Rio de Janeiro: DP&A.

Kunh, T. (2003) A estrutura das revoluções científicas. São Paulo: Perspectivas.

Moore, W. J. (1976) Físico-Química. Vol. 2. São Paulo: Edgard Blücher LTDA.

Serway, R. A. (2012) JEWET JR, J. W. Princípios de Física: óptica e Física Moderna. Vol. 4. São Paulo: Cengage Learning.

Szymanski, H. (2004) "A prática reflexiva em pesquisa com famílias de baixa renda". In II Seminário de Pesquisas e Estudos Qualitativos: 34. Bauru: SEPQ.

Szymanski, H. (2002) A Entrevista na pesquisa em educação: a prática reflexiva. São Paulo: Líber Livros

Szymanski, H.; Cury, V. E. (2004) A pesquisa intervenção em psicologia da educação e clínica: pesquisa e prática psicológica. Estud. Psicol., v. 9, n. 2, p. 355-364.

Walckoff, S. D. B. (2009) A questão da reflexão e da ação nas práticas psicoeducativas na pesquisa interventiva. Brasil: PUC - São Paulo. (Tese de Doutorado. Original não publicado).

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.